Notícias

30/09/2019 11:16:06

Fenassojaf requer participação em GT de padronização da estrutura organizacional e de pessoal da Justiça do Trabalho
No documento, a Fenassojaf afirma que pode contribuir para o mencionado Grupo de Trabalho, na tarefa de atualizar os estudos sobre a padronização da estrutura organizacional e de pessoal da Justiça do Trabalho.

A Fenassojaf encaminhou ofício ao presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Brito Pereira, em que solicita a participação no Grupo de Trabalho responsável pelo estudo sobre a padronização da estrutura organizacional e de pessoal dos órgãos da Justiça do Trabalho.  

O Ato Conjunto TST.CSJT.GP.SG 28 de 2019 foi assinado na terça-feira (24) e determina que o GT será composto pelo Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho, ministro Lelio Bentes; desembargadores, juízes e servidores do CSJT, dos Tribunais Regionais do Trabalho e das Varas do Trabalho. Também integram a equipe a presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), juíza Noemia Porto; o diretor-geral do TST, Gustavo Caribé; e a Secretária-Geral do CSJT, Marcia Sott.

No documento, a Fenassojaf afirma que “como entidade cujos dirigentes acompanham o dia a dia dos Oficiais de Justiça em todo o país, podemos dar a nossa contribuição para o mencionado Grupo de Trabalho, na tarefa de atualizar os estudos sobre a padronização da estrutura organizacional e de pessoal de primeiro e segundo graus da Justiça do Trabalho”.

A participação da Federação no grupo foi um dos temas tratados durante reunião da Aojustra com o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho, ministro Lelio Bentes Corrêa, ocorrida no mês de agosto em São Paulo. Na oportunidade, o ministro afirmou sobre a possibilidade da participação de entidades de servidores, como a Fenassojaf e Fenajufe, na condição de observadores. Leia AQUI a notícia sobre a reunião com o Corregedor

“Acreditamos que a visão e a experiência dos Oficiais de Justiça, que efetivam as decisões judiciais emitidas pelos magistrados e atuam mais diretamente com os jurisdicionados, poderão ser de grande valia neste momento em que se buscam soluções estruturais para esta Justiça Especializada”, finaliza Neemias Freire.

Clique Aqui para ler o ofício encaminhado pela Fenassojaf ao ministro Brito Pereira

Fonte: Fenassojaf